quinta-feira, 22 de junho de 2017

MESES DO ANO E SUAS CORRESPONDÊNCIAS - CONT.

ABRIL
Espíritos da Natureza: fadas das plantas
Ervas: manjericão, cebolinha, cálamo (Daemonorops Draco/Calamus Draco), gerânio, cardo.
Cores: vermelho, carmim, ouro.
Flores: margarida, ervilha-de-cheiro
Essências: pinho, louro, avelã
Pedras: diamante, safira, cristal
Arvores: álamo
Animais: urso, lobo
Aves: falcão, pega
Deidades: Kali, Hathor, Anahita, Ceres, Ishtar, Vênus, Bast
Fluxo de energia: criação e produção; devolver o equilíbrio aos nervos. Mudança, autoconfiança, aproveitar as oportunidades. Lapidar temperamento, oscilações emocionais e egoismo.

*************
MAIO
Espíritos da Natureza: elfos  e fadas
Ervas: ditamno-de-creta, sabugueiro, menta, rosa, artemísia, tomilho, mil-em-rama.
Cores: verde, marrom, rosa
Flores: lírio-do-vale, rosa, dedaleira, gesta.
Essências: rosa, sândalo
Pedras: esmeralda, malaquita, âmbar, cornalina.
Arvores: estrepeiro
Animais: gatos, lince, leopardo
Ave: andorinha, pombo, cisne
Deidades: Bast, Vênus, Afrodite, Maia, Diana, Ártemis, Pã, Deus Cornudo
Fluxo de Energia: energia criativa potencial; propagação. Intuição, contato com elfos e outros seres sobrenaturais. Fortalecimento da ligação com os seres e os protetores sobrenaturais que nos rodeiam. Energia flui dos Deuses dos Bosques e das árvores.
*************
JUNHO 
Espíritos da Natureza: silfos, zéfiros
Ervas: rainha-dos-prados, verbena, tanásia, erva-cão, salsinha, musgo.
Cores: laranja, verde-dourado
Flores: lavanda, orquídea, milefólio
Essências: lírio-do-vale, lavanda
Pedras: topázio, ágata, alexandrita, fluorita
Arvores: carvalho
Animais: macaco, borboleta, sapo, rã
Aves: corruíra, pavão
Deidades: Aine de Knockaine, Ísis, Neith, O Homem Verde, Cerridwen, Bendis, Ishtar
Fluxos de Energia: energia total, mas em repouso; proteção, fortalecimento e prevenção. Período de luz; energias da terra em transformação. Tomada de decisões; assumir a responsabilidade pelos eventos atuais. Trabalhar as inconsistências pessoais. Fortalecer e recompensar-se pelas características pessoais positivas.



quarta-feira, 21 de junho de 2017

MESES DO ANO E SUAS CORRESPONDÊNCIAS

JANEIRO
Espíritos da Natureza: gnomos, brownies
Ervas: manjerona, cardo, castanhas e cones
Cores: branco, azul-violeta, preto
Flores: galanto, açafrão
Essências: almíscar, mimosa
Pedras: granada. ônix, azeviche, crisópraso
Arvores: bétula
Animais: coiote, raposa
Aves: pavão, gaio
Deidades: Freya, Inanna, Sarasvati, Hera, Ch'ang-O, Sinn
Fluxo de Energia: indolente, sob a superfície; inicio e concepção. Proteção, reversão de encantos. Manutenção de energia através do trabalho de problemas pessoais que não envolvam mais ninguém. Fazer com que seus vários corpos trabalhem harmoniosamente juntos com os mesmos objetivos.

*************
FEVEREIRO 
Espíritos da Natureza: fadas, tanto de casa como das plantas.
Ervas: balsamo de Galaade, hissopo, mirra, sálvia, espicanardo
Cores: azul claro, violeta
Flores: prímula
Essências: glicínia, heliotrópio
Pedras: ametista, jaspe, cristal em pedra.
Arvores: sorveira, louro, cedro
Animais: lontra, unicórnio
Aves: águia, chapim
Deidades: Brigit, Juno, Kuan Yin, Diana, Deméter, Perséfone, Afrodite.
Fluxo de energia: energia que trabalha em direção à superfície; purificação, crescimento, cura. Amar a si mesmo. Aceitar a responsabilidade por erros passados, perdoar a si mesmo, planejar o futuro.

*************
MARÇO 

Espíritos da Natureza: sereias, seres da água e do ar ligados a chuvas de primavera.
Ervas: gesta, poligonáceo, betônica dos bosques, musgo irlandês.
Cores: verde-claro, grená.
Flores: junquilho, narciso, violeta.
Essências: madressilva, flor de macieira.
Pedras: água-marinha, hematita
Arvores: amieiro, corniso
Animais: porco-espinho, javali
Aves: corvo marinho, águia pesqueira
Deidades: Ísis Negra, Morrigan, Hecate, Cibele, Astarte, Atena, Minerva, Ártemis, Luna.
Fluxo de energia: energia liberada; crescimento, prosperidade, exploração. Recomeços; equilíbrio entre luz e trevas. Desfazer ilusões.Encarar a verdade em sua vida, não importa o quão doloroso possa ser.

 
 

sábado, 17 de junho de 2017

CELEBRAÇÃO PARA AS FADAS DO INVERNO

Durante os meses de inverno, os Espíritos da Natureza normalmente repousam enquanto suas plantas e arvores repousam. Entretanto, se convidar os que vivem em sua área para sua casa, eles podem passar os meses de inverno com voce, checando suas energias quando necessário. Pode exigir uma certa dose de paciência e persuasão, especialmente se os antigos moradores não fossem afeitos a sua existência e rudes com plantas e arvores. Eles são amigos maravilhosos tanto para humanos quanto para animais. Gostam em particular de crianças pequenas.
Os Pequenos são também um bom barômetro para aferir o estado das vibrações da casa. Se estiver atraindo ou enviando energias negativas, eles ficam quietos e se afastam. Eles atraem a sua atenção para o problema se voce não o notar imediatamente.

*************

Essa celebração para os Pequenos não requer abertura de um circulo. Voce precisará de gengibre em pó e uma pequena colher. Aponte velas na direção dos pontos cardeais: amarelo no leste, vermelho no sul, azul no oeste e verde no norte. Coloque um cristal ou outra pedra no lado de cada vela. Em pé, no centro da sala, envie seus pensamentos para dar as boas-vindas aos Pequenos. Entoe:

Ó espíritos das plantas e da Terra e das arvores,
Ó Pequenos de todas as formas,
Eu peço para que se apresentem a mim.
De mim não partirá nenhuma agressão. 
Juntem-se a mim em amizade e amor.
Trazendo prazer na antiga magia,
Pois para sempre com os Antigos Deuses
Poderemos recriar todas as coisas em ouro.
Espíritos guardiães, nossas vidas se unem.
Tudo nós compartilhamos.

Volte-se para o leste. Polvilhe um pouco de gengibre na vela e diga:

Todos voces, espíritos e fadas,
Ouçam meu chamado.
Entrem neste circulo mágico
Bem-vindos, todos.

Volte-se para o sul. Polvilhe o gengibre na vela e diga:

Todos voces dos raios de Sol, 
Ouçam meu chamado.
Entrem neste circulo mágico.
Bem-vindos, todos.

Volte-se para o oeste. Polvilhe o gengibre na vela e diga:

Todos voces, duendes das águas,
Ouçam meu chamado.
Entrem neste circulo mágico.
Bem-vindos, todos.

Volte-se para o norte. Polvilhe o gengibre na vela e diga:

Todos voces, dos raios de Luar,
Ouçam meu chamado.
Entrem neste circulo mágico.
Bem-vindos, todos.

Sente-se em silencio por algum tempo, mentalizando os Pequenos. Esteja atento aos toques deles em seu corpo, como se fossem penas roçando. Ouça suas vozes musicais em sua mente. Fale com eles se desejar. Ao encerrar sua comunicação, fique de pé no centro da sala. Erga seus braços para o alto, dizendo:

Minha gratidão e bênçãos,
Àqueles do Ar, da Terra, do Céu e do Mar.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

RITUAL - SUCESSO E PROSPERIDADE

Esse encantamento surte melhor efeito quando executado durante a Lua Crescente ou Cheia. A primeira Lua Cheia após o Solstício de Inverno é considerada a mais poderosa de todo o ano. Prepare uma pequena bolsinha para talismã verde ou marrom e três moedas de prata. Ponha o caldeirão no pentagrama. Ponha um pequeno pires dentro do caldeirão, com uma pequena quantidade de canela e lascas de cedro. Ao lado do caldeirão, ponha seu bastão.

*************

Toque cada moeda com seu bastão enquanto entoa:

Cintilante prata, moeda da Lua,
Brilhante e redonda, traga-me uma dádiva.
Atraia para minha mão muitas outras de sua espécie.
Multiplique-se, cresça, como a imagem em minha mente.

Coloque as moedas no caldeirão com as ervas. Mexa o ar sete vezes no sentido horário sobre o caldeirão. Entoe:

Elementais da Terra, tão argutos e brilhantes,
Compartilhem comigo seus tesouros nesta noite.
Riquezas de ouro e de prata,
Sucesso e prosperidade, tudo que eu puder manter.

Deposite as moedas e as ervas dentro da bolsinha para talismã.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

RITUAL - RENASCIMENTO DO SENHOR PERDIDO

- SOLSTÍCIO DE INVERNO -
Muitas culturas celebravam o renascimento de um deus no Solstício de Inverno. Na realidade, a maior parte da historia cristã foi copiada palavra por palavra de um antigo mito hindu. Parte foi também extraída do culto a Mitra, o deus Sol, cultuado pelas legiões romanas até mesmo na Grã-Bretanha. O nascimento de Mitra era celebrado a 25 de dezembro.
O Solstício de Inverno é um divisor de águas para as energias da Terra. O Sol está em seu ponto mais baixo. Se desejar, pode usar um presépio para representar a Grande Mãe, seu consorte e a recém-nascida Criança Solar. Afinal, essa ideia tem sido usada há muito tempo antes do Cristianismo.
Se outras pessoas forem celebrar com você, dê-lhes as partes nas quais se responde à Mãe e aos Poderes Elementais.

*************

Use quantas velas for possível em sua área ritual. Abra seu circulo como de costume. Tenha uma vela branca extra sobre o altar.
Acenda a vela branca e volte-a para o leste, diga:

Ó Forças do Ar, eu busco o Recém-nascido.
Está ele dentro de seus domínios?
As Forças do Ar respondem:
Siga a estrela até a caverna oculta.

Volte-se para o sul e diga:

Ó Forças do Fogo, eu busco o Recém-nascido,
Está ele dentro de seus domínios?
As Forças do Fogo respondem:
Siga a estrela até a caverna oculta.

Volte-se para o oeste e diga:

Ó Forças da Água, eu busco o Recém-nascido.
Está ele dentro de seus domínios?
As Forças da Água respondem:
Siga a estrela até a caverna oculta.

Por fim, volte-se para o norte e diga:

Ó Forças da Terra, eu busco o Recém-nascido.
Está ele dentro de seus domínios?
As Forças da Terra respondem:
Siga a estrela até a caverna oculta.

Retorne ao altar e ponha a vela branca dentro do caldeirão.

Eu busquei por toda parte pelo Recém-nascido,
Mas não consegui encontrá-lo.
Atenção, pois a Grande Mãe pronuncia suas palavras de sabedoria:

Busque a Criança Sagrada de Luz dentro da caverna oculta em seu coração,
Pois para sempre ele estará lá, e não fora.

Erga seus braços em saudação e diga:

Encontrei a Criança!
Ela estará sempre comigo, onde quer que eu vá.
Glória e honra ao Senhor da Luz!
Glória e honra à Dama e seu consorte!

Feche o circulo.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

ARMADILHA DA ESPIRAL

Pode ser muito simples fazer armadilhas para demônios em sua casa. Esse dispositivo aprisionará entidades negativas antes que possam afetar a harmonia de sua casa.
Apanhe um pedaço de papel branco. Ao escrever as palavras abaixo nele, escreva-as em espiral, da borda externa para o centro do papel.
Escreva: "Todos vocês, espíritos intrusos e desarmoniosos, são atraídos para esta armadilha. Do centro vocês só podem retornar para o local de onde vieram."
Deixe-o sob o capacho da sua porta frontal. Se alguém entrar trazendo tais criaturas, os "demônios" serão aprisionados na porta. Esse é um sistema muito antigo, usado pelos povos da Mesopotâmia.

terça-feira, 6 de junho de 2017

RITUAL - FESTIVAL DA COZINHA

Todos os que trabalham numa cozinha, especialmente em casa, devem ser apreciados e honrados por seu trabalho, feito diariamente, geralmente sem direito a agradecimentos. Honre seu(sua) cozinheiro(a) domestico(a) levando-o(a) para jantar fora ou preparando-lhe você mesmo uma boa refeição. Certifique-se de limpar tudo depois!
Os chineses mantinham placas em suas cozinhas para honrar o deus ou deusa da cozinha. Cada ano uma nova placa era colocada em substituição à antiga. Atualmente não é rara em lares pagãos a presença de uma bruxinha de cozinha em sua vassoura, pendurada na cozinha para abençoá-la.
Honre seus auxiliares da cozinha e todos os auxiliares invisíveis que vivam lá através de uma boa limpeza na cozinha e nas instalações. Talvez uma nova pintura ou simplesmente cortinas ou maçanetas novas seja o suficiente para clarear as coisas. A cozinha é uma importante parte da existência de sua família. Mantenha seus seres sobrenaturais, assim como os físicos, felizes com sua residência.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

PARVATI

Parvati era a filha de Himavan (deus do Himalaia) e irmã de Ganga, deusa do rio Ganges. Era uma encarnação de Sati, uma das esposas de Shiva. Ela aguardou pacientemente até  que Shiva a reconhecesse em sua nova forma, mas o deus iniciou uma carreira de ascetismo e não demonstrou o menor interesse. Parvati iniciou a prática de posturas austeras, mudando a cor de sua pele negra natural para dourada. Ainda assim, Shiva não se interessou. Então Kama, o deus do amor, lançou uma furiosa flecha no coração de Shiva, mas Shiva controlou sua paixão e suas emoções.
Como ultimo recurso, Parvati levou suas práticas ao extremo. Ela não comia nada, deitava-se em água gelada, torturava seu próprio corpo. Um dia um sacerdote brâmane veio até ela e lhe perguntou por que fazia aquilo. Parvati lhe disse que queria se casar com Shiva. O brâmane chamou o deus de velho sujo que assombrava cemitérios. Parvati concordou mas disse que ainda assim ela o amava. Quando o sacerdote chamou Shiva de coisas muito piores, Parvati cobriu seus ouvidos e gritou para que fosse embora. O sacerdote revelou-se então como sendo o deus Shiva. Ele disse a Parvati para que parasse com sua postura austera e ele a desposaria. Apesar dessa ser basicamente uma união feliz. Shiva e Parvati tinham brigas constantes. Normalmente aconteciam porque Shiva queria amaldiçoar alguém que Parvati desejava abençoar.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

SARASVATI

Os Vedas listam Sarasvati como sendo originalmente uma divindade da água, a deusa de um rio que corria a oeste do Himalaia. Posteriormente, seu poder aumentou. ela passou a ser conhecida como a deusa dos cânticos e dos discursos, a criadora do sânscrito e a descobridora da bebida sagrada soma. Ela se tornou a força por trás de todos os fenômenos.
Ainda hoje Sarasvati é chamada de a consorte de Brama e de a mãe dos Vedas que brotavam das cabeças dele. Ela é representada como uma graciosa mulher de pele branca, usando uma Lua Crescente em sua fronte; ela cavalga um cisne ou um pavão, ou senta-se numa flor de lótus. É a deusa de todas as artes criativas, em especial da poesia e da musica, do aprendizado e da ciência.
Um mito diz que originalmente Sarasvati era uma das esposas de Vishnu, juntamente com Lakshmi e Ganga. Essas deusas discutiam tanto que Vishnu finalmente cedeu Ganga para Shiva e Sarasvati para Brama. Outro mito narra que ela se demorou tanto em seu banho, fazendo com que Brama a esperasse para iniciar os sacrifícios, que ele se casou com Gayatri, a filha de um sábio. Quando Sarasvati chegou, ela amaldiçoou Brama para que fosse cultuado apenas uma vez por ano. As coisas se acalmaram entre a deusa e Gayatri quando esta prometeu ser sempre a segunda e inferior esposa.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

RITUAL DE PURIFICAÇÃO DA CASA

Tenha um bom incenso de expulsão, ou olíbano e mirra em pó, num prato com uma colher. Acenda o carvão em seu incensário e despeje um pouco de incenso. Prepare um cálice de água com um pouco de sal, e providencie um sino.
Começando na extremidade da casa oposta à porta externa, circule em todos os cômodos no sentido horário com o incenso. Certifique-se de que a fumaça penetre em todos os armários. Acrescente mais incenso conforme necessário. Dê mais uma volta tocando o sino. Finalmente, apanhe o cálice com água e, com seu indicador, toque cada lado de cada janela e porta do cômodo. Faça o mesmo com todos os espelhos.
Dirija-se ao próximo cômodo e repita o ritual. Vá a todos os cômodos da casa, inclusive o porão, terminando na porta externa. Antes de marcar os lados da porta com água, abra-a e direcione a fumaça do incenso para a porta. Diga com firmeza:

Desapareçam, vis entidades intrusas!
Vocês não são bem-vindas aqui!

Feche a porta e marque os lados da porta com a água. Deixe os instrumentos de lado e erga seus braços. Diga:

Bem- vindas todas as entidades de luz e de ajuda.
Encham esta casa com sua presença e suas bênçãos.
Afastem todas as entidades das trevas,
E devolvam o equilíbrio de nossa vida.

Quando abrir a porta para expulsar as entidades negativas, pode sentir um vazio ao seu redor. Ao convidar as entidades positivas para que entrem, a casa passará a ser confortável e calorosa. Não se deve banir entidades sem chamar por entidades positivas, ou aquelas retornarão trazendo outras com elas. Um vazio deve ser sempre preenchido.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

ILMATAR DA FINLÂNDIA

A maioria das lendas úgrico-finlandesas estão contidas no Kalevala. No início, diz esse livro, Ilmatar, a filha virgem de Air, desceu dos céus ao mar. Ilmatar é também conhecida como Luonnotar, Filha da Natureza. Enquanto ela se divertia na água, o vento Leste a engravidou. A deusa flutuou nas águas por sete séculos, impossibilitada de dar à luz porque não havia terra firme.
Ela orava constantemente ao deus Ukko, o maior dos deuses, para que a ajudasse. Ukko se compadeceu dela e enviou um marreco para que fizesse um ninho em seu joelho. Quando os filhotes do marreco saíram de seus ovos, Ilmatar apanhou as cascas e, utilizando sua magia, criou a Terra, o Céu, o Sol, a Lua e as Nuvens. Apesar de agora contar com terra firme, Ilmatar seguiu carregando a criança em seu ventre por mais trinta verões. Seu filho Valnamoinen, o primeiro ser humano, teve que lutar por mais trinta e um anos para alcançar a terra e iniciar sua vida. Foi ele que inventou a cítara e era um músico tão soberbo que suas melodias dominavam os animais selvagens.

A Deusa Ilmatar chega até nossas vidas para nos dizer que mesmo nos tornando adultos, a nossa criança interior, sempre permanecerá criança.
Portanto, não importa a idade que hoje temos, pois sempre conservaremos a alegria infantil que a vida nos proporcional.
Mas não se trata de lembranças e sim de sentir a qualidade essencial das crianças.
Na criança interior encontramos o "mar da plenitude", onde ainda estamos ligados, pelo cordão umbilical celeste à nossa Mãe primordial.

Todas as mulheres do mundo que alcançaram sucesso, via de regra, são "filhas do pai" e estão bem adaptadas à sociedade orientada pelo masculino, mas para tanto, tiveram de sacrificar seus próprios instintos femininos.
O retorno à Deusa é a reconexão com o "si mesma", o arquétipo da totalidade e o centro regulador da nossa personalidade.

"Sou quem Sou", esta é a questão!

Cair nas águas frias do "mar da plenitude" da Deusa Ilmatar é a única forma de acordar a força e a paixão do feminino que está há milênios adormecida dentro de nós.

A Deusa Ilmatar pode ser invocada para melhorar a nossa criatividade e quando há dificuldade para concepção.



terça-feira, 16 de maio de 2017

DIA DA LEMBRANÇA

Os antigos romanos celebravam a Lemúria nos dias 9, 11 e 13 de maio. Durante esse período eles honravam os espíritos vagantes dos ancestrais e da família. Atualmente, muitas pessoas ainda visitam os cemitérios no fim de semana do Dia da Lembrança com a finalidade de depositar flores nos túmulos, uma maneira de relembrar os membros mortos da família. No entanto, não é necessário ir até o cemitério para homenagear seus ancestrais. Numa linhagem grande, provavelmente muitos de seus ancestrais podem não ter sido sepultados em locais próximos, e outros podem ainda ter sido cremados e suas cinzas espalhadas ou ter tido seus corpos físicos extraviados. O dia da Lembrança não existe para homenagear um corpo físico decomposto, mas sim para honrar as linhas de sangue que conduziram à sua existência.

*************

Estabeleça em um ponto de sua casa um altar ancestral temporário; escolha um local que não seja perturbado ao menos por uma semana. Deposite nesse altar quantas fotos de membros falecidos de sua família possuir. Se não possuir fotos, escreva seus nomes num pedaço de papel. Arrume um belo vaso com flores frescas próximo às fotos. Acenda diariamente incensos de lavanda ou rosa nas proximidades do altar.
Durante todos os dias dessa semana, vá até o altar uma vez por dia para conversar com seus ancestrais. Não se esqueça daqueles que, de tão afastados em sua linhagem, você nem tenha conhecido. Deixe uma vela branca acesa no altar pelo menos por uma hora ao dia.
Talvez exista um membro da família recém-falecido com o qual você não se dava muito bem. Todos nós temos. Se achar que suas energias espirituais estejam lhe causando problemas (e realmente alguns fazem isso), simplesmente remova suas fotografias  até que passem a se comportar melhor. Pode soar estúpido, mas funciona com a maioria dos espíritos. Eles querem ser lembrados e homenageados, e não serem esquecidos e jogados ao ostracismo. No entanto, uma minoria pode permanecer incorrigível e terão que ser barrados em sua casa.
Peça diariamente conselhos e ajuda a seus ancestrais. Se meditar próximo a este altar, pode muito bem passar a receber visitas de seus entes queridos. E lembre-se de pensar neles e chamá-los durante o resto do ano, especialmente em ocasiões importantes.


segunda-feira, 15 de maio de 2017

O NASCIMENTO DE ÁRTEMIS/DIANA

O deus grego Zeus estava sempre envolvido em casos com alguma deusa ou uma desafortunada mortal. Leto, também chamada de Latona, era uma das filhas dos Titãs e tão bela que o rei dos deuses por ela se apaixonou. Logo ela estava grávida de gêmeos. Para evitar a fúria e a vingança de Hera, Leto fugiu para a ilha de Delos, originalmente chamada de Ortygia, onde deu à luz seus filhos numa caverna. A deusa lunar Ártemis ou Diana nasceu um dia exato antes de seu irmão, o deus solar Apolo.
Hera ficou furiosa. Ela enviou a grande serpente Píton no encalço de Leto, mas o deus dos mares Poseidon, a ocultou. O jovem Apolo, extremamente forte e belo, fortaleceu-se com néctar e ambrosia. Tomando consigo as flechas forjadas especialmente para ele pelo ferreiro Hefesto, ele buscou o monstro em Parnaso e o matou.
Ártemis era tão bela quanto seu irmão mas, ao contrario de Apolo, esta deusa não desfrutava de prazeres sexuais. Ela era a Caçadora Virgem, a Caçadora de Almas. Tão logo nasceu, Ártemis partiu diretamente ao encontro de seu pai Zeus e pediu uma túnica curta, botas de caça, um arco de prata e uma aljava repleta de flechas.
As Amazonas lhe eram leais sob sua fase de Lua Crescente. Seus lugares prediletos eram os bosques e montanhas de Arcádia, por onde andava na companhia de sessenta oceânides, vinte ninfas e uma matilha de cães de caça chamados de Alani. Ela tornou-se a defensora das mulheres maltratadas ou ameaçadas pelos homens. Apesar de não ter nada em comum com homens nem permitir que suas ninfas se envolvessem, Ártemis era a patrona da fertilidade feminina e dos partos.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

CONSAGRAÇÃO DE BARCOS

O Festival Chinês do Barco Dragão acontecia na Lua Cheia de Abril. Barcos decorados seguiam em procissão ao luar rio acima e rio abaixo, e também em lagos. Todos participavam, pois acreditava-se que isso agradava os dragões responsáveis por trazer energia vital à comunidade. Flores eram atiradas às águas para que levassem as bênçãos e os desejos do povo.
Para os chineses, os dragões não são criaturas terríveis a ser evitadas, mas sim seres sábios e poderosos que poderiam ajudar de muitas maneiras. Os amantes de dragões de hoje têm ciência disso e cultivam sua amizade. Dragões podem ser poderosos aliados.
Este é um excelente período para consagrar embarcações, estejam ou não decorados como um dragão. Os antigos diziam que cada barco possuía um espírito embutido, e se tal espírito ficasse insatisfeito ou bravo, o barco não seria facilmente controlado contra ventos e vagas.
Se possui um barco, pequeno ou grande, este ritual pode melhorar sua segurança e performance. Se não possui nenhuma embarcação, este ritual pode ser utilizado para abençoar carros, motocicletas, bicicletas ou qualquer outro meio de transporte que utilize.

*************

Ande ao redor do barco no sentido horário e espalhe uma mistura de água e sal consagrado. Se o barco estiver na água, ande ao redor do convés o quanto for possível.
Quando terminar, de pé na proa do barco ou de frente para ele diga:

Espíritos deste barco (diga o nome do barco, se tiver um),
Peço aos deuses que os abençoem,
Que vocês guiem este barco com segurança, na calma e na tempestade.
Usem seus poderes para proteger tanto o barco como aqueles que  nele viajam.
Agradeço seus esforços por nós.

Pendure uma guirlanda de flores no barco, como uma oferenda.
Se não possuir seu próprio barco, mas desejar enviar seus votos de segurança a todas as embarcações, escolha um rio que corre para o mar. Escolha flores leves o bastante para flutuar na água. Dirija-se à margem do rio ou a uma doca e suspire gentilmente seus votos a cada flor antes de atirá-las, uma a uma, à água. Diga:

Espíritos dos barcos por toda parte,
Peço aos deuses que os abençoem.
Peço que guiem e abençoem todos os barcos e marinheiros que viajam por água.
Os que navegam por prazer.
Aqueles que comercializam através das ondas, trazendo alimentos e suprimentos aos necessitados.
Não permita que vento ou onda lhes cause mal.
Proteja-os de qualquer desastre ameaçador.
Agradeço por seus esforços.

Não faz diferença se as flores atinjam ou não o oceano. Cada barco que passe por tais flores abençoantes levará a mensagem a outros barcos. O efeito se espalha continuamente, como as ondas feitas por uma pedra atirada a um lago.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

EXPULSANDO ENTIDADES DE MÁ SORTE

De tempos em tempos, é comum sermos, mesmo contra nossa vontade, hospedes desavisados de hostes de entidades agourentas. Tais entidades podem nos ser enviadas através da inveja e má vontade dos outros. Por vezes absorvemos as vibrações negativas quando estamos expostos ao publico, tais entidades mergulham em nossas auras por estarmos deprimidos, com raiva, irritados de alguma forma ou doentes. Devemos tomar muito cuidado ao ir ao consultório médico, por exemplo. Lojas durante grandes liquidações são outro local onde podemos inadvertidamente atrair tais criaturas. A ultima categoria dessas entidades agourentas é aquela que engloba as criadas por nós mesmos devido ao nosso próprio negativismo.
Assim que se sentir sobrecarregado dessas entidades, você desejará livrar-se delas. A primeira providencia é limpar as vibrações de sua casa. Pegue um pequeno punhado de sal em suas mãos; posicione sua outra mão sobre a primeira e peça aos deuses que abençoem esse agente de limpeza. Polvilhe alguns grãos de sal em cada canto dos cômodos e armários de sua casa. Quando terminar, tome um banho com um pouco de sal na água e uma erva de limpeza. Isso ajuda a limpar sua aura, mesmo sendo uma ação física.
Para evitar o retorno de tais criaturas, queime incensos de patchuli ou olíbano durante três dias e peça às entidades de boa sorte para que entrem em sua vida; um vazio seria indesejável, pois atrairia de volta tudo aquilo que expulsou.
Como uma precaução final, escolha um talismã para usar; passe-o pela fumaça do incenso antes de usar. Pode ser qualquer coisa, desde um machado de Thor a um cristal. Lime-o periodicamente passando-o pela fumaça do incenso para livrá-lo das vibrações negativas que possa ter absorvido.